em ,

Porn Hub: Pornografia vs Fashion Statement

É cada vez mais comum a associação de marcas de tudo e mais alguma coisa à moda: DHL, Pepsi, Coca-Cola, McDonalds são apenas os exemplos mais célebres de marcas bem presentes no nosso dia-a-dia que, não tendo nenhuma relação aparente com a moda, se tornaram uma forma peculiar (ou nem tanto) de fazer uma afirmação de estilo. Os seus logotipos representam a sociedade de consumo, a cultura pop massificada, o que confere um toque “irónico-industrial” ao estilo quotidiano. Esta questão já não é propriamente novidade, e é vantajosa tanto para as marcas retratadas, que se tornam cada vez mais icónicas e omnipresentes, como para as empresas que as incorporam nos seus designs, que assim beneficiam das narrativas a elas associadas (clever ah?).

A novidade está agora na relevância que a roupa da marca Porn Hub Apparel está a ganhar, e na forma como a alcançou.

Passando a explicar: Como é sabido (sim, é sabido, ninguém se faça desentendido!), a Porn Hub é um site de pornografia online, onde é possível visualizar e partilhar milhares de vídeos de sexo para todos os gostos de forma gratuita, como tantos outros sites por essa internet fora. Até aqui nada de novo. O facto interessante é que a Porn Hub está lentamente a tornar-se uma marca de lifestyle, com linha de roupa própria e loja online.

A espera privada banalizada na moda

Como é que um site deste género sai da esfera do “badalhoco-obscuro” e se torna uma marca fashion mainstream? Através de pequenas ações de marca, que a tornam notícia nos jornais generalistas: rastreios gratuitos ao cancro da mama, parcerias com rappers e, mais recentemente, marcas de moda, fizeram com que a Porn Hub se tornasse muito mais do que um simples site de pornografia, para se tornar uma marca de moda, que por acaso está associada à promiscuidade e libertação sexual.

Num mundo onde florescem afirmações de igualdade de direitos, feminismo, onde mudam os conceitos de identidade de género ao mesmo tempo que permanecem opressões e guerras religiosas, a legitimação do sexo de forma pública surge como uma chamada de atenção para o nosso lado mais animalesco, impulsivo e natural, onde desaparecem preconceitos e se banalizam caprichos. No sexo tudo é uma questão de preferência, sem censuras ou condenações. Trazer esta “ideia” para o mundo da moda, é como uma lufada de ar fresco, uma afirmação do nosso lado mais simples no mundo cada vez mais complicado, o que acaba por se tornar mais uma afirmação de libertação, que se traduz em cool a 200%.

Statement ou não, é claro que o estigma da indústria pornográfica ainda existe e existirá, razão pela qual acredito que nem todos tenham coragem para usar a marca… pelo menos até a Rihanna vestir primeiro 😉

This post was created with our nice and easy submission form. Create your post!

Qual a sua opinião?

1000 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Escrito por Sofia Craveiro

Fashion lover, branding maniac and a sushi addict.
Adoro estudar moda e compreender o seu impacto nas pessoas e sociedade. A minha meta é transmitir factos, sob a minha perspetiva, que te façam pensar e questionar o que está a acontecer e porquê no mundo da moda.
Espero que além de te fazer pensar, te faça passar um bom bocado :)

Samsung Galaxy S9 e S9+

Começou a correr? Saiba quais são os erros a evitar